Google Translate
ArabicBlogger Tips And Tricks|Latest Tips For BloggersFree BacklinksBlogger Tips And Tricks Korean Japanese Chinese Simplified
Russian Portuguese English French
German Spain Italian Dutch
sexta-feira, 27 de abril de 2018

PostHeaderIcon Nissan registra recorde de vendas e participação de mercado na América Latina no ano fiscal 2017





As vendas da Nissan na América Latina cresceram 14,3% no ano fiscal 2017, levando a marca a um recorde de volume e de participação de mercado, à medida que os consumidores adotaram seus modelos preferidos, como o Nissan Kicks. A Nissan comercializou um total de 207 mil unidades na América Latina no período de 12 meses encerrado em 31 de março, o maior volume desde que a empresa iniciou suas operações na região, em 2014. A participação de mercado subiu para 4,7%.





Alguns destaques:

- Brasil: as vendas aumentaram 26%, quando comparadas com o ano fiscal anterior. O Nissan Kicks, lançado há apenas dois anos, já representa 46% das vendas da marca no país. O crossover foi o carro mais vendido do seu segmento em março, com 19% de participação de mercado, atingindo também a 9ª posição entre todos os modelos vendidos no país.

- Argentina: as vendas da Nissan na Argentina, onde a subsidiária opera há apenas dois anos e meio, atingiram recorde, com um crescimento de 71,1% em relação ao ano anterior. Além disso, foram lançadas as bases para o robusto plano de crescimento da marca no país, com a nova fábrica de Córdoba.

- Colômbia: a Nissan encerrou o ano fiscal na terceira posição no mercado, com participação de 9,3%, e se posicionou como a importadora que mais vende carro no país. A companhia também se consolidou na liderança de picapes com a Nissan Frontier.

- Chile: as vendas cresceram 16%, fazendo com que a Nissan alcançasse a quarta posição em participação de mercado. A marca liderou o segmento de SUVs pelo segundo ano consecutivo, com 12% de participação.

- Peru: a Nissan consolidou seu crescimento na América Latina com a abertura da nova subsidiária Nissan Peru em janeiro de 2018. A filial encerrou o ano fiscal 2017 com uma participação de mercado de 4,8%.

"Os números do ano fiscal 2017 confirmam que a América Latina tem um grande potencial de desenvolvimento para a Nissan" comentou José Luis Valls, chairman da Nissan América Latina.

A Nissan atualizou seu portfólio na América Latina e introduziu novas tecnologias do Nissan Intelligent Mobility, a visão da empresa para mudar a forma como os carros são conduzidos, propulsionados e integrados à sociedade. Estes foram fatores-chave na estratégia de crescimento da empresa na região.

"Estamos confiantes em nossa estratégia. Temos crescido rapidamente - mais rápido do que a própria indústria - e nossa gama de veículos premiados está atendendo às necessidades de nossos clientes na América Latina", completou Valls.

Neste aspecto, o Nissan Kicks é o melhor exemplo, pois não só foi o primeiro crossover inspirado e projetado especificamente para o mercado latino-americano, mas também é o veículo mais completo em seu segmento em termos de tecnologia. O modelo recebeu vários reconhecimentos, entre os quais se destaca o "Melhor SUV do ano", pela FIPA (Federação Interamericana de Jornalistas Automotivos). Lançado em 2016, se consolidou em 2017 como o modelo mais vendido pela Nissan na região com mais de 80.000 unidades comercializadas desde o seu lançamento. Prova dessa liderança é que está no top 3 de seu segmento, em mercados como Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica e Panamá.

Outro destaque da marca em 2017 foi a Nissan Frontier. A picape recebeu 10 prêmios da imprensa automotiva brasileira como a "Melhor Picape do Ano", pela revista Auto Esporte. O modelo começará a ser produzido na segunda metade de 2018 na nova planta de Córdoba, na Argentina. A fábrica é o segundo maior investimento da marca em manufatura na região, depois do Complexo Industrial de Resende, no Brasil.

O desempenho da Nissan na América Latina é o resultado de sua estratégia e do compromisso da marca em oferecer a seus clientes produtos e serviços com a qualidade japonesa.

0 comentários:

Postar um comentário