Google Translate
ArabicBlogger Tips And Tricks|Latest Tips For BloggersFree BacklinksBlogger Tips And Tricks Korean Japanese Chinese Simplified
Russian Portuguese English French
German Spain Italian Dutch
sábado, 27 de janeiro de 2018

PostHeaderIcon Jujuy, na Argentina, um destino a ser explorado

Jujuy é uma província argentina situada a noroeste do país, limitado ao sul e a leste pela província de Salta e com a Bolívia e Chile ao norte e oeste. Nesta província pode-se encontrar montanhas com várias cores em função dos minerais existentes; salares; desertos; florestas; sítios arqueológicos; reservas e parques nacionais e uma gastronomia regional. Bem servida por estradas sinalizadas, percorrer esta região de automóvel e moto é uma opção interessante. Como destino turístico sintetiza, em perfeita harmonia, seus costumes ancestrais e seu patrimônio cultural e histórico com uma paisagem singular. Sua capital é San Salvador de Jujuy, com cerca de 300 mil habitantes, que se situa em um vale atravessado pelos rios Grande e Xibi-Xibi. Em virtude de suas características climáticas e ecológicas foi dividida em quatro regiões, cada uma com flora e fauna diferentes e atividades econômicas específicas.

São elas :


- Vales, com altitudes que variam de 500 metros a 2 mil metros acima do nível do mar, é onde se situa a capital e o aeroporto internacional. Nesta região se encontram cidades que guardam memórias do passado colonial em suas ruas. Seu clima temperado a converteu na região mais povoada e explorada. Na foto acima, o Rio Grande;

- Yungas, de 400 a 3 mil metros acima do nível do mar, com destaque para o Parque Nacional Calilegua e o Parque Provincial Potrero de Yala. Desataca-se pela rica fauna e flora. Declarada pela UNESCO como “Reserva da Biosfera” com o propósito de implementar ações que ajudem a resolver problemas socioeconômicos e ambientais, contribuindo para melhorar a qualidade de vida das comunidades desenvolvendo melhorias técnicas no manejo dos recursos naturais, com atividades econômicas alternativas e com o reconhecimento dos valores e necessidades de cada grupo cultural da região.

- Puna, cuja atração especial são Salinas Grandes. Há planícies com mais de 3.600 m acima do nível do mar; lagunas e é território de lhamas; guanacos e vicunhas.

- Quebrada de Humahuaca, região declarada pela UNESCO “Patrimônio Cultural e Natural da Humanidade” como “Paisagem Cultural”. Em meio à sua paisagem repleta de montanhas com tonalidades diferentes repousam uma cultura milenar e suas tradições. Para os visitantes existem serviços desde hotéis de charme até hostels; excursões e atividades variadas. A vegetação, em geral, é escassa e nos vales férteis de destacam a agricultura e criação de gado e ovelhas. Esta região foi reconhecida inclusive como denominação de origem para a produção de vinhos, o que levou à implantação de pequenos vinhedos dedicados a uvas de alta qualidade enológica como Malbec; Cabernet Sauvignon; Syrah; Sauvignon Blanc e Pinot Noir.






É nesta região que fica o povoado de Purmamarca, a 2.195 metros de altitude. Purmamarca, no idioma quéchua, significa “Povo da Terra Virgem”. É daqui que se avista e se acessa o Morro das Sete Cores.












Sua praça principal fica repleta de um colorido artesanato e cercada por uma culinária típica.















Capela de Santa Rosa de Lima, cuja construção inicial é de 1648, sendo que o atual templo é de 1778. Foi declarada Monumento Histórico Nacional.













Uma de suas ruas, repletas de artesanato e iguarias.

















A arquitetura, cujos tons remetem aos das montanhas.
















Rua de Purmamarca, montanhas multicolores por todos os lados.



















Construções simples, em tons monocromáticos em função dos materiais empregados em suas construções
















O adobe é largamente empregado nas construções.




















Os cactus enormes que proliferam na região.



















Um habitante originário









(Fotos: João Tilki)

0 comentários:

Postar um comentário