Google Translate
ArabicBlogger Tips And Tricks|Latest Tips For BloggersFree BacklinksBlogger Tips And Tricks Korean Japanese Chinese Simplified
Russian Portuguese English French
German Spain Italian Dutch
terça-feira, 30 de abril de 2019

PostHeaderIcon GOL apresenta receita líquida recorde de R$3,2 bilhões no 1T19

A GOL Linhas Aéreas Inteligentes anuncia hoje o resultado consolidado do primeiro trimestre de 2019. A Receita líquida trimestral foi de R$3,2 bilhões, a maior da história da Companhia neste período, com crescimento de 8,3% em comparação ao mesmo período do ano anterior (1T19 X 1T18).

Esse incremento foi reflexo da combinação de maior demanda com otimização na precificação, aumento da receita no mercado doméstico, e também no internacional proveniente principalmente dos destinos de Miami, Orlando e Quito. A GOL cresceu no mercado internacional, mesmo em meio aos desafios enfrentados com as desvalorizações do Real e do Peso Argentino frente ao dólar americano.

Em 11 de março, alinhada ao seu Valor Número 1 - Segurança - a Companhia foi a primeira aérea do mundo a suspender temporariamente as operações comerciais dos seus sete aviões 737 MAX-8 antes da solicitação do órgão regulador do país. Desde o início dos voos com essas aeronaves, em junho de 2018, foram realizados 2.933 voos, totalizando mais de 12.700 horas operadas oferecendo total segurança aos Clientes.

“O MAX-8 é um dos pilares da estratégia de expansão internacional da GOL, oferecendo importante vantagem competitiva com a menor estrutura de custo e a melhor eficiência operacional do mercado aéreo brasileiro. Reiteramos a confiança na segurança das nossas operações e na Boeing, parceira exclusiva desde o início da companhia em 2001 e nas aeronaves 737 MAX-8. Manteremos nossos pedidos firmes junto à Boeing”, afirmou Paulo Kakinoff, Diretor Presidente.

Neste primeiro trimestre, a Companhia empenhou todos os seus esforços e reacomodou todos os Clientes impactados pela paralização dos aviões 737 MAX-8, que possuíam voos programados a partir dos nossos hubs de Brasília e Fortaleza para os Estados Unidos com as nossas aeronaves Boeing 737-NG e por meio de nossa parceria estratégica internacional. A neutralização de possíveis impactos para os Clientes e o sucesso da trajetória da companhia ao longo destes 18 anos, só foi possível graças a habitual dedicação do nosso Time de Águias.

Operação

Mantendo a nossa tradicional disciplina quanto à gestão da capacidade, além da contínua otimização da malha aérea, a taxa de ocupação foi de 81,5% no primeiro trimestre de 2019, 1,1 p.p. superior em relação ao mesmo período de 2018. Considerando os mais de 63 mil voos realizados nesse período, a GOL atingiu o índice de 87,1% de pontualidade, segundo dados da Infraero.

Aliado à nossa gestão eficiente da capacidade, divulgamos recentemente a ampliação da nossa malha aérea doméstica com o anúncio de seis novas rotas regionais e o início de novas parcerias estratégicas nas regiões Norte e Centro-Oeste.

O RPK - número de passageiros pagantes transportados por quilômetro voado - trimestral teve aumento de 6,4% (passando de 10,0 bilhões no 1T18 para 10,6 bilhões no 1T19). O Yield - valor médio pago por passageiro por quilômetro voado – subiu 1,9% na comparação trimestral, resultando em RASK (receita por assento por quilômetro voado) líquido de 24,63 centavos (R$) no 1T19, aumento de 3,2% em comparação ao 1T18. A oferta (ASK – número de assentos transportados por quilômetro voado) aumentou 5,0% versus o 1T18 (impulsionado pelo aumento do número de assentos ofertados em 3,2% e um incremento na etapa média).

Desempenho Financeiro

Mesmo com o aumento no preço por litro de combustível em 9% e a desvalorização do real frente ao dólar em 16%, a Companhia teve aumento do CASK ex-combustível recorrente de 3,2%, para 12,80 centavos (R$). O lucro operacional excluindo as despesas não recorrentes foi de R$546 milhões no 1T19, representando margem EBIT recorrente de 17,0%. Esse é o décimo primeiro trimestre consecutivo de resultado operacional positivo. O EBITDA recorrente – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização – foi de R$952 milhões no 1T19, crescimento de 15,5% em relação ao mesmo período do ano anterior.

Fortalecimento do balanço e da competitividade

A relação de dívida líquida (excluindo os bônus perpétuos) sobre EBITDA UDM (últimos doze meses) foi de 3,3x no 1T19, superior em relação ao 4T18 (3,2x). A liquidez total, incluindo caixa, aplicações financeiras, caixa restrito e contas a receber, foi de R$3,5 bilhões, superior em R$550 milhões em relação à de 31/12/2018.

A Companhia executou novas iniciativas de desalavancagem ao longo do primeiro trimestre de 2019, entre elas: (i) a recompra de 15% das Senior Notes com vencimento em 2022, (ii) a amortização de R$149,7 milhões referentes à 7ª emissão de debêntures, (iii) emissão do Exchangeable Senior Notes no valor total de principal de US$300 milhões com vencimento em 2024.

A GOL é a aérea de menor custo na região pelo 18º ano consecutivo, em razão de sua operação simplificada e de sua frota única e padronizada (menores custos com tripulação, gestão inteligente das peças sobressalentes e manutenção “best-in-class”), aliada a operações enxutas e produtivas com baixos custos fixos. Essa eficiência e vantagem sustentável de custo, garante à Companhia a posição número 1 na região.

Experiência do Cliente

A GOL transportou 8,9 milhões de pessoas no primeiro trimestre deste ano, consolidando-se não apenas como líder no número de passageiros, como também em market share no segmento doméstico (37,2%, de acordo com a ANAC no mesmo período).

“A Companhia tem investido para que todas as etapas de viagem sejam completas e garantam a melhor experiência, apostando principalmente em soluções inovadoras que otimizem o tempo de todos os Clientes que voam GOL”, comentou Paulo Kakinoff, presidente da GOL.


0 comentários:

Postar um comentário